31 de julho de 2010

Humor Matemático - Profe e Alunu II

Olá =]]]

- Voltando a postar uma tira.
E voltando com os personagens Profe e Aluno, atuando em uma situação bastante comum em sala de aula.

O professor é o cara que sabe tudo?

A resposta é não. Claro!

Muitas vezes o professor vai passar por situações em que não saberá alguma coisa. Como é totalmente normal. E aceitável.

A ideia da tira de hoje tirei de minhas aulas da faculdade. Minha colega de sala, Simone, sempre brincava que quando algum aluno perguntasse algo e ela não soubesse a resposta ela iria dizer: - Pesquisem e me entregam para a próxima aula!
O pessoal da sala morria de rir. Imaginem a situação !

Na tira resolvi colocar uma questão que, com certeza, muitos professores ainda possuem dúvidas em como passar, apesar de ser um conceito simples, confunde demais os alunos. A questão do "Jogo de Sinais".

Para vocês terem uma ideia disso, em nenhum livro didático que conheço explica este conceito, mostra somente como uma regra que deve ser aceita. Na internet também é difícil encontrar algo concreto sobre o tema. ''/

Segue a tira abaixo:

# 5 - Profe e Alunu em: Pesquisem Pesquisem Oo



Nota 1: A maioria dos professores aceita somente como uma regra. Acho muito estranho!
Nota 2: Se alguém souber alguma explicação lógica eu ficaria muito feliz. =]]]
Nota 3: Twitter vicia Oo
Nota 4: Ótimo final de semana a todos =]

o///

16 Comentários :

Kaerveck, o terravus. disse...

rere.
tinha uma professora que fazia isso tambem.
ai nos paramos de questionar as coisas...
preguça de fazer os trabalhos...

Cayo Nauan Siqueira disse...

confesso que me perdi nesse blog, não sou muito fã de matemática nem de calculo e seus derivados mais o blog tá bacana.

Paola "Lolola" disse...

Tive professores assim...
Hoje prezo por fazer o contrário: dizer que não sei uma resposta e buscar para trazer a eles.

Carlito disse...

realmente matematica eh um bicho estranhu... Há muitas coisas em formulas q naum tem como explicar, simplesmente eh regra
seu blog ta bom cara...abraço

Naírla Silva disse...

kkkkk.. professor é foda né?! kkkk. Bjs

http://coposcheiosdevodkaerocknroll.blogspot.com/

Renato Brodzinski disse...

SoterO,

A partir dos axiomas de corpo é bem fácil demonstrar essa "regra". Na verdade nem usa tantos, se não me engano usa só distributiva, elemento oposto, elemento neutro. Talvez comutativa também.

O fato é que se queremos fazer contas com números inteiros (considerando os negativos), esse é o jeito que mais faz sentido. Qual é o sentido disso é uma coisa legal de ser investigada com alunos...

Se você quiser uma referência melhor me pergunte por e-mail: renatobrodzinski@gmail.com

ospeixesquevoam disse...

Momento meu professor :S

curti teu blog, visita meu...

http://the-peixevoador.blogspot.com/

Edwin disse...

hauhsuhas boas piadas, legal brincar com uma coisa tão chata hehe


visita: agendaeconteudo.blogspot.com

Abner Moreira disse...

UHAUHAUAHUAHUAHAUHAUHA!
Eu já fiz isso taaaaaaaaaaaaaaantas vezes como professor!
Parabéns!

Allan Michell disse...

HAUSHAUHSUAHSUH Muito bom! Muito bom!

pisovelho.com.br disse...

Menos com menos é mais, pois vivendo numa sociedade capitalista que nunca satisfeita com o que tem.

Putz... viajei :)

...... disse...

KKKKKKKKKKKKKKK Muito bom o blog bem diferente.

SoterO disse...

Renato,
acredito que demonstrar por axiomas ficaria ainda mais fora do alcance de simples alunos de 12 anos, não concorda?
Gostaria de métodos simples para explicar. Algo lógico e dentro da vivência dos alunos. Alunos não são "matemáticos".

Por exemplo,
é simples explicar para um aluno expressões como -4 x 2, já que é igual à -4 + (-4). Mas como dizer que (-4) x (-2) = 8
Não é nada simples...

Renato Brodzinski disse...

SoterO,
Eu também combato o formalismo no ensino, se você ler o meu blog vai ver isso. Eu só estava respondendo a pergunta para você, que é um matemático, eu não faria isso pra alunos...

No caso do professor, no mínimo ele tem que conhecer uma justificativa, e a única que conheço até hoje é por axiomas e tal, eu só queria compartilhar da maneira que eu conheço... A partir disso, o professor deve investigar como fará com os alunos, mas se ele nem disso souber, espero que nunca entre numa sala de aula.

"menos com menos é mais" não tem como criar uma situação da vivência dos alunos, é por isso que não se encontra nos livros. Não existe uma situação do tipo "João deve tantos reais...", pode pesquisar, nunca encontrará. A saída que eu penso e escrevi no outro comentário não é fazer a partir de axiomas, mas mostrar pros alunos que essa é a única maneira que faz sentido. Deixe eles tentarem de outro jeito e eles mesmos verão que os resultados são absurdos.

Eu vi a outra postagem que você fez sobre isso. Eu estou vendo, rapaz, cuidado com isso, você está criticando por um comentário que você não entendeu, que era pra ser uma colaboração. Professores que fazem o que você escreveu lá estão nas universidades, não nas escolas. Nas escolas, na maioria das vezes, os professores nem conhecem a demonstração formalista, eles dizem que aquilo é uma regra e pronto, o que por sinal é pior que formalismo...

SoterO disse...

Renato,
Desculpe se respondi mal seu último comentário. Realmente fui ignorante.
Mas mesmo assim não sou um matemático. Não faço Matemática. Só a estudo.

E pensando na sua ideia, consegui criar um exemplo usando o personagem João, que chamarei de Joãozinho, analise:

Joãozinho organiza seus lucros do seguinte modo:
sinal positivo - para LUCROS e tempo FUTURO;
sinal negativo - para PREJUÍZOS e tempo PASSADO.

Joãozinho perde R$3,00 por dia, quanto ele vai ter perdido daqui a dois dias ? (FUTURO)
(-3) x 2 = - 6 - (perdido R$6,00

Joãozinho perde R$3,00 por dia, quanto ele tinha a dois dias atrás ? (PASSADO)
(-3) x (-2) = 6 (tinha R$6,00)

Acredito que este seja um exemplo convincente para um aluno (de 11 anos) que dois números negativos resulta em um número positivo.

E não leve a mal o outro post, aquela tirinha foi uma das melhores.

abçs

Renato Brodzinski disse...

SoterO,

Ok, sem problemas, e me desculpe também, meu comentário foi exagerado.

Quanto ao seu exemplo, não sei se eu usaria numa aula, mas a ideia é boa, certamente muito melhor do que simplesmente dizer pros alunos que isto é uma REGRA! hehe

falow

Postar um comentário